twilight-fan @ 19:30

Dom, 20/11/11

Kristen abriu o coração em uma entrevista para à revista CAPRICHO desta quinzena: a atriz contou que as cenas do casamento foram muito reais, que sempre cozinha para Rob e Taylor e que se sente mais tranquila ao lado do namorado! Confiram:

O jeito doce de Kristen:

“ROB E TAYLOR SÂO MEUS.” Foi o que disse Kristen Stewart para a CAPRICHO, em um encontro que rolou em Los Angeles, sobre a amizade que construiu com os garotos durante os quatro anos de saga. A experiência com Crepúsculo foi muito intensa para a atriz. Isso porque Kristen é muito dedicada aos seus trabalhos e, claro, assumidamente viciada na saga de livros de Stephenie Meyer. A paixão é tanta que a garota de 21 anos passou anos pensando e imaginando como seria a cena mais importante de toda a série: o casamento de Edward e Bella. No dia da gravação, Kristen até sentiu como se estivesse em seu próprio casamento. “Foi tão real. Fez parte de mim”, contou. Ela também nem ligou de ter que parecer “feia” na telona por causa dos efeitos especiais da gravidez e se emocionou de verdade na cena do nascimento de Renesmee.

A saga também mudou completamente a vida da atriz. De promessa do cinema, em dezembro de 2008, quando estreava em Crepúsculo, a garota de Los Angeles se tornou uma das atrizes de maior sucesso de Hollywood. Além da fama, Kristen conquistou mais de 15 prêmios, foi convidada a estrelar cinco novos filmes(Snow White and the Huntsman, On the Road, The Runaways – Garotas do Rock, Corações Perdidos e Férias Frustradas de Verão), ganhou um espaço na Calçada da Fama, em Hollywood, e, de quebra, conquistou o namorado mais desejado do mundo, Robert Pattinson. Nesta entrevista exclusiva à CAPRICHO, Kristen Stewart ainda revelou que sempre cozinha para Robert e Taylor, que se sente muito mais tranquila quando Rob está por perto e contou como é se despedir de bella. Já pode começar a chorar!

Você está muito magra no filme. Você precisou perder peso?

Não. Na verdade, foi uma mistura de efeitos especiais com um molde que tive que usar no rosto na hora de gravar. Foi engraçado porque esse molde tem o formato de um rosto fino, mas ele é grande para que a produção possa reduzir digitalmente. (risos) É bem estranho.

Você ficou assustada em se ver assim?

Sim, um pouco. Foi meio chocante. Mas achei legal porque eles não tiveram medo de fazer dessa maneira. É complicado o protagonista de um filme tão grande ficar horrível a maior parte do tempo. (risos)

Mas acho que a cena mais tensa é a do nascimento, né?

È  bem tensa mesmo. O mais engraçado é que achei a cena horrivelmente bonita. (risos) Acho que ela é muito direta e sincera. Tipo, tudo o que faz a cena ser horrível, eu acho bonito. Mesmo com sangue por todo lado e eu nunca vi o bebê como um bebê-demônio! Estava realmete emocionada, de uma forma muito maternal por toda a experiência.

Essa experiência de ser mãe no filme a influenciou?

Não acho que preciso ser influenciada, mas algumas experiências despertam coisas em você. Sou a caçula da família e nunca tive nenhuma inclinção para bebês, nem nada. Mas a ideia de isso acontecer comigo é tão diferente. A cena foi simples e humana. Amei!

Então você prefere a cena do nascimento à do casamento?

Não, de jeito nenhum! Nós construímos a cena do casamento por quatro anos, então é a cena mais importante da série! Gravamos no fim de tudo e foi muito intenso. Penso como se fosse algo que aconteceu comigo e não algo que fiz. Esse dia foi tão real. Fez parte de mim.

Você gostou de usar o vestido de noiva?

Nossa, adorei!

Quem desenhou?

Carolina Herrera! Incrível, né?! Eu gostei como nunca imaginei que iria gostar. Penso nesse momento há anos, mas nunca imaginei o que estaria vestindo. E, de repente, o vestido apareceu e eu pensei: “Meu Deus”. Quando o coloquei, só conseguia pensar: ” Que incrível!”

É difícil ter que se despedir de Bella?

Stephenie Meyer fez um bom trabalho. Não há mais o que fazer, então estou bem. Não acho que deixamos de fazer alguma coisa e estou orgulhosa. Gosto de lembrar e ficar pensando em tudo o que rolou, mas estou totalmente pronta para dizer adeus. E vou falar sobre a saga pelo resto da minha vida, né?!

Você critica muito seu trabalho?

Às vezes, me condeno, mas tem coisas de que gosto. Mas sou muito autocrítica. Não consigo assistir a um filme sem ficar extremamente brava, mas, no fim dele, sempre acho ok.

Você acha que você, Taylor e Robert vão ser bons amigos para sempre?

 Com certeza. Tenho um sentimento muito especial por eles e não teria tido sem ter passado por uma experiência como a que passamos. Nós somos muito amigos e isso não acontece sempre. Às vezes, você acaba de gravar um filme e fala “nós precisamos combinar de se ver” ou apenas se dá bem no tranalho com aquela pessoa e a amizade não vai para frente. Com a gente, vai muito além disso. Nós tivemos sorte. Acho que isto está na cara! Esses garotos são “meus”, sabe?!

Como os dois a ajudam a lidar com toda essa loucura? 

Simplesmente por não me deixarem sozinha. Nós temos uns aos outros.

 Robert parece descontraído e relaxado, como se nada o incomodasse. Deve ser legal ter alguém assim por perto… 

Muito! Principalmente porque sou o oposto dele neste sentido. Então amo fazer entrevistas com ele porque posso relaxar um pouco. (risos) E é aí onde Rob mais brilha, quando está sendo engraçado. Isso é legal porque nós três somos muito diferentes. Taylor sempre sabe o que está dizenso sem fazer média, sabe? Ele é muito sincero. Já Rob é totalmente maluco. (risos) Mas, de repente, ele aparece com ideias que eu nunca tinha pensado antes. Nós sempre devíamos fazer essas coisas em trio. Seria muito mais dinâmico!

Rob contou que você fica assistindo a canais de culinária no set. Então você é praticamente uma chef de cozinha?

(risos) É verdade. Amo cozinhar.

O que mais gosta de cozinhar?

Gosto de tudo! Você cozinha?

Sim. Sou muito boa em chili!

Ah! Eu faço um chili muito bom! Gosto de cozinhar o molho, aquele que colocamos no cachorro-quente, sem ser o chili saudável. (risos)

Você faz chili para os garotos?

Sim, o tempo todo. Principalmente durante as gravações do filme porque estava muito frio, congelando. Também fiz muuuita sopa.

Você é fã de algum desses chefs de cozinha que se tornaram celebridades?

Se eu vir qualquer um deles, vou falar: “Meu Deus, olha quem está ali.” Mas amo Jamie Oliver! Ele é incrível!

Como foi gravar On the Road, com o diretor brasileiro Walter Salles?

Incrível! Walter é uma das pessoas mais inspiradoras que já conheci. On the Road foi meu primeiro livro preferido, quando tinha uns 13 anos. Eu estava tremendo quando soube que trabalharia no filme. tipo, eu cresci com esse livro, li umas 50 vezes! Nunca imaginaria o que ia acontecer  quando era apenas uma garota normal que amava o livro. Foi a coisa mais legal que já aconteceu!